Início > Travogro > O início do fim

O início do fim

Bem… Depois de um século pensando (e esquecendo na maior parte do tempo) sobre o post inicial do blog cheguei a conclusão que eu sou péssimo nisso. Então vamos começar com o basicão, um post de apresentação.  Meu nome pouco importa. Minha idade muito menos. Formação acadêmica é ainda mais irrelevante. Não é como se fossemos nos tornar amigos, não é mesmo?

Basta você saber que eu sou uma das pessoas mais inteligentes que você um dia vai conhecer. Não do tipo Einstein, mais pra Dr. House. O que me leva a segunda parte da descrição. Eu também sou uma das pessoas mais cínicas de que você vai ter notícias. O que é uma boa notícia se você confunde ironia ou sarcasmo com piadas. Boa parte dos meus textos poderá ser hilária, ao menos sob seu ponto de vista.

Escreverei  preferencilmente sobre as pessoas e sua encantadora habilidade em serem obtusas. Há muito tempo, uma  universidade fez uma propaganda com frases de autores famosos e algumas imagens associadas a elas. Uma das frases mais interessantes era: “penso, logo existo” e a imagem de uma pedra.  E não é que eles estavam certos? A maior parte das pessoas com que eu convivo tem pensamentos tão brilhantes, e coerentes, quanto os de uma pedra.

Vocês devem estar se perguntando se um pouco de humildade não me cairia bem, não é mesmo? Minha resposta permanece a mesma: “a humildade é uma ótima qualidade quando não se tem outras”. As pessoas que tiveram a benção de me conhecer sabem que, no meu caso, qualidades são o que não faltam. Talvez a mais interessante delas, e uma das mais raras, é que eu tenho uma preguiça absoluta de mentir ou fingir em prol de uma amizade ou suposto sentimento que eu tenha por determinada pessoa.

E isso que acaba se tornando tão divertido. Porque, não importa o quanto essa pessoa gosta de você, quando ela pede pra que você seja sincero, ela está na verdade pedindo que você minta pra que ela não se sinta tão insegura. Isso me dá uma preguiça infernal. E lá eu tenho cara de mãe ou de analista pra ficar passando a mão na cabeça de alguém? Se você estiver sendo um idiota eu me reservo no direito de falar que você está agindo como um.

Então mantenha-se atento para descobrir  como é a vida de um gênio em um mar de ignorância.

P.S.: se você está achando que eu sou arrogante, prepotente, insuportável, guarde suas opiniões pra si Eu já fui chamado de coisa bem pior and I’m still around. Para melhor ou pior, ninguém que me conheceu foi capaz de me esquecer.

Anúncios
Categorias:Travogro
  1. Yaholy
    Junho 8, 2011 às 12:22 am

    O pior de tudo é que é tudo verdade. Você tem o ego gigante, mas você pode ter esse ego. Inteligente, divertido, e lindo.

  2. Junho 8, 2011 às 8:29 pm

    Cara, sensacional. Sério mesmo. Adorei esse seu sinismo odiosamente cativante. Curioso para saber onde isso tudo vai chegar agora…

  3. Junho 8, 2011 às 8:32 pm

    Cara, sensacional. Sério mesmo. Adorei esse seu cinismo odiosamente cativante. Curioso para saber onde isso tudo vai chegar agora…

  4. Junho 8, 2011 às 8:41 pm

    Um delicio de Travogro =]

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: